MENUTrienal de Arquitectura de Lisboa
Data
01 OUT 2019 - 31 DEZ 2019
Edição
Participantes
Éric Lapierre, Sébastien Marot, Ambra Fabi, Giovanni Piovene, Mariabruna Fabrizi, Fosco Lucarelli, assistidos por Laurent Esmilaire, Tristan Chadney e Vasco Pinelo de Melo

2019

Uma equipa liderada por Éric Lapierre, arquitecto e teórico de arquitectura baseado em Paris, foi nomeada para a curadoria da 5ª edição da Trienal de Arquitectura de Lisboa, a realizar de Outubro a Dezembro de 2019. A equipa, que lecciona o curso Architecture & Experience na escola de arquitectura de Marne-la-Vallée (Paris), é composta pelo filósofo Sébastien Marot e por um grupo de profissionais da prática e da teoria altamente qualificados: Ambra Fabi, Giovanni Piovene, Mariabruna Fabrizi, Fosco Lucarelli, assistidos por Laurent Esmilaire, Tristan Chadney e Vasco Pinelo de Melo como consultor. 

 

Breve introdução à linha curatorial


A arquitectura contemporânea parece dividida entre edifícios icónicos que pretendem ser monumentos, esquecendo as suas ligações à história e às questões teóricas sobre as quais a disciplina se tem apoiado ao longo de séculos, por um lado, e edifícios repletos de referências históricas as quais são consideradas como um reservatório quase infinito de formas prontas para serem misturadas, independentemente de sua condição visual e de significado, por outro.


A fim de tentar superar esses típicos becos sem saída da arquitectura da pós-verdade, a proposta para 2019 deseja afirmar que a arquitectura de excelência sempre foi baseada numa determinada racionalidade. Essa racionalidade é o que permite que os edifícios comuniquem significados claros, assim como obscuros, mas sempre compreensíveis, através da poética da arquitectura. A quinta edição da Trienal pretende definir a especificidade da racionalidade arquitectónica para continuar a criar arquitectura relevante vinculada ao passado, sem nostalgia ou citações literais, ligada a esse eterno núcleo de teoria arquitectónica que requer permanentemente actualização e modificação para permanecer o mesmo.

 

Sobre o Curador-Geral

Éric Lapierre é arquitecto e teórico de arquitectura. Fundador e director da Éric Lapierre Experience (ELEx) sedeada em Paris, Lapierre divide a sua actividade entre a área de projecto e o ensaio crítico. Reconhecidos a nível nacional e internacional, as obras da ELEx têm sido amplamente premiadas e referidas em publicações. Estes edifícios visam manter a arquitectura como um meio cultural sofisticado na condição comum da contemporaneidade.

Éric Lapierre lecciona na École Nationale Supérieure d'Architecture de Marne-la-Vallée (Paris), na École Polytechnique Fédérale de Lausanne (EPFL), tendo sido professor convidado na Accademia di Architettura di Mendrisio, Université de Montréal (UdM), Université du Québec à Montréal (UQAM) e KU Leuven em Gante. Entre outros livros, é autor de Identification d’une ville – Architectures de Paris, 2002; Guide d’architecture de Paris 1900-2008, 2008; Le Point du Jour A Concrete Architecture, 2011; Architecture of The Real, 2004, e Se la forma scompare, la sua radice è eterna, 2017.

 

O Call a propostas curatoriais para a edição de 2019

Lançado em Novembro de 2016, foram recebidas 48 propostas envolvendo 155 participantes de dezasseis países. O júri foi composto pelos membros da Direcção da Trienal e André Tavares (curador-geral com Diogo Seixas Lopes, de The Form of Form).